A Cirurgia Bucal

Cirurgia Bucal e os desafios e cuidados para com os dentes do siso.

Cirurgia Bucal

As Cirurgias Bucais são todos os procedimentos cirúrgicos realizados na cavidade bucal. Dependendo da magnitude do procedimento cirúrgico, idade, condição sistêmica e psicológica do paciente, elas podem ser realizadas tanto em ambiente e também da preferência pessoal do paciente.

A cirurgia bucal mais comumente realizada é a extração dentária. Apesar de bastante comum, não é isenta de complicações. Esses procedimentos devem ser realizados por profissionais especialistas e com ampla experiência na área para que se tornem seguros e com um bom pós-operatório.

Abaixo disponibilizamos mais informações sobre os seguintes tópicos:

 

  • Os Dentes do Siso

  • Todo mundo tem os 4 dentes do siso? Como fico sabendo se tenho e quantos tenho?

  • Todo mundo deve extrair os dentes do siso?

  • Quais são os principais problemas que podem acontecer quando esses dentes não são removidos?

  • Qual é a melhor idade para extrair esses dentes do siso?

  • Como são extraídos os dentes do siso? É possível extrair os 4 dentes do siso em uma única sessão?

  • É comum inchar após a remoção dos dentes do siso?

  • Quais são os cuidados que devo tomar no pós-operatório de uma cirurgia do dente do siso?

  • Sugestão de alguns cuidados pós-operatórios

Dentes do Siso

Uma das extrações dentárias mais conhecidas é a extração dos dentes do siso ou terceiros molares. Esses dentes são os últimos molares de cada lado dos maxilares tanto na parte de cima (maxila) quanto da parte de baixo dos maxilares (mandíbula).


Como esses dentes são os últimos permanentes a aparecerem na boca (por volta dos 16 aos 20 anos de idade), geralmente não há espaço suficiente na arcada para acomodá-los. Isso pode fazer com que fiquem inclusos (dentes retidos embaixo da gengiva, por outros dentes ou osso) podendo causar inchaço, infecção e dor.


Não se iluda!! Dentes do siso parcialmente erupcionados (que não nasceram completamente) são uma bomba relógio! Em algum momento trarão diversos problemas a você!

Todo mundo tem os 4 dentes do siso? Como fico sabendo se tenho e quantos tenho?

Não. Existem pessoas que possuem 1, 2, 3 ou até mesmo os 4 dentes do siso. O fato do dente não estar visível na boca não significa que você não o possua. Em alguns casos, o dente até pode estar parcialmente visível, mas a erupção completa não ocorre.

A única forma de avaliar adequadamente a presença ou não desses dentes é através de uma radiografia conhecida como panorâmica dos maxilares. Essa radiografia proporciona uma análise completa desses ossos e também do posicionamento e forma dentária. Essas informações são fundamentais para um adequado planejamento cirúrgico seguro e eficaz.

Todo mundo deve extrair os dentes do siso?

Nem sempre todos os dentes do siso precisam ser removidos. Na verdade, os dentes do siso são dentes como outro qualquer que devem estar na arcada totalmente erupcionados com facilidade de higiene e com contato adequado na mordida com o dente antagonista. Isto é: deve suprir sua função primordial, mastigar os alimentos -entre outras. Caso esses fatores não estejam presentes, ele deve, sim, ser extraído!ficaz.

Quais são os principais problemas que podem acontecer quando esses dentes não são removidos?

Os dentes do siso que têm indicação de extração e não são removidos, podem acarretar diversos problemas, que vão desde cáries nos dentes adjacentes a tumores e cistos de grandes proporções. Felizmente a ocorrência desses cistos e tumores são menos frequentes, porém seu desenvolvimento é indolor e imperceptível ao paciente, o que aumentam os riscos. O diagnóstico precoce deve ser feito através de uma radiografia panorâmica ou tomografia computadorizada após análise do cirurgião responsável.

Os dentes do siso que erupcionam apenas parcialmente ou nascem mal posicionados também podem causar outros problemas, tais como: apinhamento dentário (entortar os dentes), problemas periodontais (problemas na gengiva e no osso ao redor dos dentes), infecções e alterações na mordida do paciente (distúrbios da articulação temporomandibular- ATM) entre outros problemas. 

Qual é a melhor idade para extrair esses dentes do siso?

Os dentes, de uma forma geral, se ligam ao osso por um delgado ligamento chamado ligamento periodontal. A medida que o paciente chega a fase adulta e envelhece, esse ligamento começa a desaparecer e o dente funde-se ao osso tornando-se junto a ele uma única estrutura. Essa situação é conhecida como anquilose e torna o procedimento cirúrgico muito mais traumático e complexo. Por esse e outros motivos indicamos a remoção o mais precoce possível desses dentes. 

O desenvolvimento da raiz desses dentes completa-se por volta dos 17 aos 18 anos de idade. Portanto indicamos como idade ideal para remoção desses dentes entre os 13 aos 16 anos de idade. Nessa fase esses dentes não apresentam formação completa da raiz, é praticamente inexistente a possibilidade de anquilose e a recuperação pós-operatória desses pacientes ocorre de uma forma muito mais rápida e tranquila.

Como são extraídos os dentes do siso? É possível extrair os 4 dentes do siso em uma única sessão?

A extração se faz de forma rotineira que pode ser realizada sob anestesia local no consultório, com ou sem sedação, ao até mesmo em ambiente hospitalar. A opção de tratamento ficará a cargo do cirurgião, da complexidade do procedimento cirúrgico e da preferência do paciente. 

Na grande maioria dos casos é possível a extração dos 4 dentes do siso em uma única sessão. Com uma cirurgia bem executada de forma delicada e rápida é possível retirar os 4 sisos em menos de uma hora e ainda contar com um excelente pós-operatório. 

Normalmente são realizadas suturas que podem ser absorvíveis ou não. Caso o paciente resida em outro estado ou país, podem ser realizadas suturas absorvíveis que desaparecerão em poucas semanas.

É comum inchar após a remoção dos dentes do siso?

Após a extração dentária que é uma cirurgia que acaba por lesionar, mesmo que minimamente, a gengiva, o tecido mole e o osso, o corpo reage com um mecanismo de defesa no local. Células então são ativadas e um processo inflamatório se inicia, causando edema, calor e vermelhidão. Este edema (o inchaço) acontece porque o líquido das células sai dos vasos sanguíneos e deposita-se nos tecidos superficiais. O inchaço pode começar logo ao terminar a cirurgia, quando já se deu início ao processo inflamatório citado acima. Porém, seu pico máximo ocorre até o terceiro dia pós-operatório. Passada esta fase, a tendência é regredir, o chamado efeito reverso, melhorando a região e voltando ao seu estado normal. Por isso, os cuidados com o pós-operatório nas primeiras horas até o final da primeira semana após a extração são decisivos para uma boa recuperação. Nesse sentido a delicadeza do cirurgião é primordial bem como as corretas medicações adequadas cuidados pós-operatórios para que a sua recuperação seja o mais breve possível.

Quais são os cuidados que devo tomar no pós-operatório de uma cirurgia do dente do siso?

Os cuidados pós-operatórios de uma extração do dente do siso são focados basicamente na promoção da higiene, controle do edema (inchaço) e do desconforto. Mas obviamente o pós-operatório está intimamente relacionado com a técnica cirúrgica que o cirurgião emprega, tempo cirúrgico e cuidado com os tecidos adjacentes. 

Os terceiros molares inferiores podem estar, em certos casos, em íntimo contato com o nervo alveolar inferior (nervo responsável pela sensibilidade dos lábios inferiores e dos dentes inferiores). Dependendo dessa relação, o paciente pode apresentar uma diminuição da sensibilidade do lábio inferior (parestesia), que se apresenta de forma transitória na grande maior dos casos. O laser de baixa intensidade apresenta-se como o “tratamento ouro” nessas situações ajudando também no reparo dos tecidos e regressão mais rápida do edema.

Recomendamos que o paciente tire o dia da cirurgia de folga de suas atividades normais, contudo no dia seguinte a maioria dos pacientes estão liberados para o retorno de suas atividades sociais e de trabalho. Ficando restrito somente das atividades físicas por um período em média de uma semana. 

Pacientes que apresentam surtos sucessivos de inchaço e infecção precisam ser devidamente preparados para a cirurgia para diminuir o risco de infecção pós-operatória. 

Recomendamos uma dieta leve (liquida-pastosa) nos primeiros 2 dias após a cirurgia associada a alimentos mais frios (sucos e sorvetes).  Também é preciso evitar atividades físicas e exposição prolongada ao sol. Faça compressas de gelo na parte externa da boca de hora em hora, por 15 minutos nas primeiras 48 horas após a cirurgia. 

Comida quente nas primeiras 24 horas após a cirurgia não está indicado. Ela aumentará a circulação sanguínea, que já está mais exacerbada que o normal, provocando mais sangramento. Após este primeiro dia, com precaução pode.

Não se deve também beber bebida alcoólica enquanto estiver se medicando. A bebida alcoólica influencia negativamente na ação dos antibióticos e de alguns outros medicamentos. Existem vários grupos de anti-inflamatórios específicos para cada caso. A nossa equipe ira individualizar sua medicação para que você tenha uma excelente recuperação e um retorno o mais breve possível as suas atividades normais. 

Evite fumar, pelo menos até a remoção dos pontos. As substâncias tóxicas do cigarro penetram na mucosa e interferem negativamente na cicatrização.

Repousar e evitar atividades físicas, principalmente nas primeiras 24 horas, também são indicações para acelerar a sua recuperação e promover um melhor pós-operatório.

De sete a quatorze dias o paciente retornará ao consultório para que o seja realizada a remoção da sutura (os pontos). A retenção prolongada dessa sutura pode causar acúmulo de comida e placa bacteriana prejudicando a cicatrização. Quando utilizamos sutura (pontos) absorvíveis, os mesmos caem sozinhos nesse período. Nessa situação orientamos uma higiene rigorosa até sua completa absorção. Sugerimos esse tipo de sutura em crianças e em pacientes que moram em outros estados ou países quando o retorno semanal ficar prejudicado. 

Sugestão de alguns cuidados pós-operatórios

Compressa com gelo nas bochechas nos primeiros minutos e nas primeiras 24 horas é a melhor maneira de diminuir e evitar o inchaço, a dor e o sangramento. Ajuda a contrair os vasos sanguíneos que estão dilatados por conta do processo inflamatório, evitando o alto fluxo sanguíneo e a liberação dos líquidos celulares para aquela região.

Alimentos frios como picolé e sorvete. Pelo mesmo motivo citado acima.

Alimentos líquidos e macios como um macarrão ou sopa, por exemplo, podem ser consumidos em temperatura ambiente. Mastigar alimentos duros e consistentes aumentaria o esforço mastigatório na região ferida, provocando inchaço nas bochechas.

Quente e morno estão liberados após este primeiro dia (as primeiras 24 horas). Pode até se realizar compressa quente, aplicando uma toalha quente e úmida na área, para relaxar a musculatura. Mas só depois das primeiras 24 horas. Antes disso, deve-se evitar.

Medicação prescrita pelo seu cirurgião dentista deve ser levada à risca, cada uma na sua dose, hora e dias indicados corretamente.

Higienização disciplinada. Com escova macia e levemente feita. A escovação irá evitar o acúmulo de restos de alimentos, acelerando a cicatrização. Enxaguantes bucais também, sempre e só os indicados pelo seu dentista.

Tomando todos estes cuidados com a alimentação, higienização, repouso, medicamento indicado, diminuição do esforço físico, e principalmente o gelo nos minutos e horas iniciais, as chances de inchaço pós-operatório diminuirão muito. Não esquecendo que todas essas dicas valem para a extração de siso e para todos os outros dentes também. 

Essas são apenas algumas sugestões de cuidados de forma resumida. No final do seu procedimento darem a você uma cartilha com orientações mais detalhadas.

Siga adequadamente as nossas instruções. Nossa equipe estará disponível para auxilia-lo no seu pós-operatório 24 h por dia 7 dias por semana para qualquer dúvida ou esclarecimento.

Agende uma Consulta

Para lhe podermos atender e informar adequadamente sobre o seu caso é necessário uma avaliação pessoal em consulta.

Avaliação Preliminar

Na consulta inicial você terá um parecer sobre o seu caso. Eventualmente, poderão ser necessários exames de imagem para confirmar e definir um plano de tratamento.

Investimento no Tratamento

O valor de investimento e suas distintas formas de parcelamento/ pagamento poderá ocorrer por meio de convênio médico ou não.

Flexibilidade

As possibilidades de pagamento dos tratamentos, na medida do possível, serão configuradas para atender o seu contexto econômico-financeiro.

Convênios Médicos

Em muitos casos, os procedimentos podem contar com cobertura de convênio médico. Conte com a nossa experiência e conhecimento para lhe orientar de forma a obter os benefícios que eventualmente tenha direito.

Comprometimento

Conte conosco para lhe proporcionar toda a informação necessária para o seu caso.

Maxilart. Função, Harmonia e Equilíbrio.

Resgatamos a harmonia e equilíbrio funcional da boca e dos maxilares, e, revelamos sorrisos e expressões para dar intensidade e brilho a todos os momentos da vida!

a todos os momentos da vida...