ATM – Articulação Temporomandibular

Conheça mais sobre esse procedimento.

Os implantes dentários são peças fabricadas em titânio que tem por objetivo a reposição dos dentes em casos específicos favorecendo a estética, mastigação e a fala do paciente.

Essas estruturas metálicas substituem a raiz dos dentes perdidos através de sua inserção cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva. Uma vez instalados, permitem ao dentista posicionar dentes substitutos sobre elas (coroa dos dentes).

Os implantes são integrados aos ossos e, por essa razão, conferem um suporte estável para as próteses (coroas), o que permite grande segurança e outros benefícios durante a alimentação ou a fala.

Dúvidas Frequentes

Veja algumas dúvidas que podem te ajudar.

As DTMs podem estar relacionadas a fatores anatômicos (músculos, ligamentos, ossos ou disco articular), patologias (cistos, tumores, e doenças autoimunes tal como artrite reumatóide, etc), inflamações (seja da cápsula articular – capsulites – ou mesmo do líquido sinovial – sinovites – ou ambas) ou traumáticos (fraturas da cabeça da mandíbula, contusões ou luxações). Desta forma, os fatores causais das DTM são inúmeros, e o problema nem sempre está relacionado a apenas uma causa específica, o que torna o diagnóstico da DTM complexo e especializado.

O diagnóstico das DTMs deve ser realizado por meio de exame clínico acurado e específico, histórico médico detalhado do paciente, além da realização de exames complementares quando necessário. Nossa clínica conta com profissionais dedicados e altamente capacitados em identificar as causas das DTMs, observando em cada paciente suas características específicas, individualizando cada diagnóstico e plano de tratamento.

Alguns pacientes possuem risco aumentado para o desenvolvimento da disfunção temporomandibular. Se você possui algumas das características abaixo, tenha bastante cuidado.

  • Vários tipos de artrite ou doenças autoimunes;
  • Alterações hormonais não tratadas;
  • Perdas dentárias antigas não tratadas;
  • Bruxismo ou apertamento dentário constante;
  • Menopausa

Agende uma avaliação completa com nossa equipe e tire suas dúvidas.

Os principais sintomas da DTM são:

  • Dores nas articulações e/ou ouvidos
  • Estalidos na ATM (perto do ouvido)
  • Enrijecimento muscular na face
  • Dificuldade de abertura bucal
  • Dificuldade de alimentação e fala
  • Dificuldade ou impossibilidade de fechar a boca
  • Zumbido
  • Cefaléia

A resposta é Não! O fato de você ser diagnosticado com DTM não significa que necessariamente haverá episódios de dor forte. Os casos que envolvem patologias de crescimento lento, desarranjos internos tais como os famosos deslocamentos do disco articular, dentre outros, alteram o funcionamento habitual das ATMs provocando as DTMs, no entanto geralmente não são acompanhados de dor. Tenha bastante atenção, você pode sofrer de DTM sem saber. A Avaliação especializada é fundamental para o diagnóstico precoce desta disfunção e leva a melhores resultados.

A DTM, após o correto diagnóstico, possui uma ampla variedade de modalidades para tratamento, que vão desde terapias conservadoras e minimamente invasivas até procedimentos cirúrgicos complexos. Na nossa clínica sempre individualizamos cada plano de tratamento, priorizando os procedimentos minimamente invasivos. Os procedimentos cirúrgicos para abordagem das ATMs geralmente são o último recurso. A decisão por operar se dá quando outras alternativas menos invasivas não surtiram o efeito desejado no tratamento, tornando a DTM persistente. Em casos mais severos, a cirurgia também pode ser a primeira opção de tratamento.

Tratamento conservador é aquele em que não há intervenção e/ou trauma direto ao paciente. A metodologia para este tipo de tratamento varia de acordo com o caso, podendo estar direcionada ao alivio dos sintomas e em promoção da saúde do individuo. Dentre eles temos:

  • Placa Miorrelaxante
  • Laserterapia
  • Fisioterapia
  • Aplicação de toxina botulínica
  • Tens (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation)
  • Acupuntura / Agulhamento
  • Termoterapia
  • Orientações sobre postura
  • Terapêutica Medicamentosa

Dependendo do seu caso, a indicação do tratamento conservador pode ser pela utilização de um dos métodos citados ou por uma combinação deles.

Geralmente os pacientes aceitam bem a terapêutica conservadora e os sintomas regridem com a evolução do tratamento. É interessante notar que a remoção do(s) fator(es) causador(es) é o principal passo para o sucesso no tratamento das DTMs. Em alguns casos onde há alteração degenerativa intra-articular, estes métodos auxiliam apenas na regressão da dor, portanto não curam a disfunção propriamente dita (não removem a causa principal da DTM). Em casos mais severos, a terapia conservadora também serve como instrumento auxiliar para estabilizar o paciente no pré-operatório para a cirurgia da ATM.

Existem algumas possibilidades de cirurgia, que também variam desde a Artocentese e Artroscopia da ATM – que são procedimentos cirúrgicos considerados minimamente invasivos, parrando pela cirurgia aberta para reposicionamento do disco articular, chegando até a substituição total da articulação por prótese articular de ATM. Nossa equipe realiza todos os procedimentos cirúrgicos na ATM em ambiente hospitalar, sob anestesia geral, gerando conforto e segurança para o tratamento dos nossos pacientes.

Ambos são procedimentos minimamente invasivos, onde não há cortes na pele, apenas há a punção (agulha na artrocentese e artroscópio na artroscopia) para acesso ao compartimento superior da ATM. As agulhas e cânulas utilizadas nestes procedimentos possuem diâmetro pequeno, até 1.9mm. O local de punção é a pele ligeiramente a frente das orelhas com as agulhas / cânulas guiadas no sentido da parte óssea da articulação (cabeça da mandíbula).

Na Artrocentese, é realizada a lavagem interna da articulação com soro fisiológico, removendo do interior da articulação todo o componente inflamatório presente no líquido sinovial, além da possibilidade de injeção medicamentosa intra-articular que auxilia no reparo tecidual pós procedimento. A Artroscopia é baseada no mesmo princípio, no entanto é utilizada uma cânula que possui em sua extremidade uma mini câmera capaz de projetar em um monitor instalado na sala cirúrgica, imagens reais e ampliadas do interior da articulação, onde o cirurgião visualiza diretamente o aspecto interno da ATM e suas estruturas.

Além disso, por meio de bisturi eletrônico e pontas de radiofrequência, é capaz de cauterizar regiões específicas e até mesmo incisar (cortar) estruturas que estejam causando hipomobilidade do disco articular tais como feixes musculares ou aderências patológicas. É capaz ainda, através do uso de pinças específicas, remover restos de cartilagem degenerada ou corpos estranhos que possam estar presentes no interior da ATM.

Quando a alteração articular é severa, ou tecnicamente inviável para ser realizada através da artroscopia, optamos pela cirurgia aberta da ATM. Pelo próprio nome, este procedimento inclui uma incisão na pele e tecido subcutâneo, localizada a frente da orelha, que deixa cicatrizes mínimas e algumas vezes até imperceptível. O acesso a ATM se dá de forma direta, onde o cirurgião é capaz de manipular por visão direta os tecidos moles, disco articular além da possibilidade de utilizar brocas cirúrgicas para desgaste ósseo quando necessário.

Esta opção cirúrgica é a mais complexa, porque envolve a remoção dos componentes articulares fisiológicos da ATM, degenerados e sem possibilidade de tratamento, preparo do local cirúrgico e instalação da prótese total da articulação temporomandibular. Esta prótese é composta por dois componentes, o primeiro é chamado de “craniano” e é instalado na região correspondente a fossa da mandíbula no osso temporal, é feito por um material chamado polietileno de ultra peso molecular (associado ou não a liga metálica) fixo por parafusos em titânio, o segundo é chamado componente mandibular, feito em liga de titânio onde na região correspondente a cabeça da mandíbula apresenta superfície de cobalto crômio, e é instalado na região do ramo mandibular, articulando-se com o primeiro componente.

Neste caso há a necessidade de duas incisões para instalação da prótese, uma igual a da cirurgia aberta, descrita acima, e outra na região abaixo e ligeiramente posterior em relação ao ângulo da mandíbula.

A Maxilart conta com profissionais de elevado nível nas mais diversas áreas, todos conectados entre si e planejando juntos para que nossos pacientes recebam o melhor tratamento disponível no mercado. Agende uma avaliação, e tenha suas dúvidas respondidas.

AGENDE AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO CONOSCO