São Paulo:
11 3078-8264
11 3078-6840
11 99972-8264
Santos:
13 3233-4366
13 99756-4366

O câncer de pele é o tumor mais frequente. Corresponde por 33% de todos os casos de câncer diagnosticados no Brasil, e o INCA (Instituto Nacional do Câncer) registra a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. Este fato torna se evidente pois a pele constitui o maior órgão do corpo e esta sujeita a exposição da radiação solar ao longo de toda vida. Soma-se a isso o fato de vivermos em um pais tropical, onde a busca incansável por um aspecto bronzeado supera a sensatez em manter uma pele saudável.

A radiação solar promove alterações progressivas e cumulativas na pele acarretando, ao longo do tempo, lesões pré-cancerosas, inicialmente superficiais, podendo evoluir para tumores mais invasivos e agressivos.

 

saiba mais

A doença ocorre devido ao crescimento descontrolado das células alteradas da pele.

A principal forma de prevenção e o uso de protetores solares aliado a exposição controlada ao sol. Além disso, na presença de qualquer alteração de cor, textura ou sensibilidade da pele, uma avaliação medica deve ser realizada para evitar complicações futuras.

O diagnóstico do câncer de pele é realizado observando o aspecto clínico da lesão, formato, coloração em conjunto com o resultado da biópsia da mesma. Lembrando que o diagnóstico deve ser realizado o mais precocemente possível para que o prognóstico seja o melhor possível também.

O tratamento se dá pela remoção da lesão suspeita, sempre com margem de tecido normal. Quando a lesão é muito grande, disseminadas ou em áreas de difícil controle cirúrgico, o tratamento pode incluir quimioterapia, radioterapia, imunoterapia ou uma associação de todas as modalidades.

Os principais tipos de CÂNCER DE PELE são:

Carcinoma

São o tipo mais comum, representam cerca de 95% dos tumores malignos de pele, sendo o carcinoma basocelular, o mais frequente e menos agressivo. Já o carcinoma espinocelular pode cursar de forma mais agressiva localmente e produzir lesões a distância, chamadas de metástases.

Causa
Os carcinomas da pele estão relacionados diretamente com grande exposição aos raios ultravioleta (UV) do sol, de forma cumulativa, durante toda a vida. São encontrados com maior frequência em pessoas com pele clara. Algumas doenças de pele podem predispor o aparecimento do câncer de pele, além do fator hereditário.

Sintomas
Costuma se manifestar como placas asperas na pele ou como pequenas feridas que sangram facilmente e não cicatrizam. Quase sempre se localizam nas áreas de pele mais expostas ao sol diariamente (nariz, pálpebras, lábio inferior, orelhas, couro cabeludo, ombros, etc), mas pode surgir em qualquer local. São mais comuns em pessoas de pele clara, geralmente em adultos com mais de 50 anos de idade. Não costumam doer intensamente, mas provocam prurido e desconforto local (coceira). Tendem a crescer lentamente e de forma contínua.

Melanoma

O melanoma é o tumor maligno de pele menos frequente (5%), porém costuma ter comportamento mais agressivo. Tem origem a partir dos melanócitos, que são as células responsáveis pela produção do pigmento (melanina) que dá cor à pele. Por isso, costumam se manifestar como pintas de cor escura (negro ou castanho).

Causas
A associação do melanoma com o sol é bem conhecida, principalmente com os episódios de exposição intensa, mas este tipo de câncer de pele também tem forte influência genética e imunológica.

Sintomas
O melanoma pode surgir na pele sã, sobre pintas já existentes ou mesmo em sinais de nascença. É encontrado tanto em áreas expostas ao sol, como em áreas cobertas e, diferente dos carcinomas, acomete pessoas mais jovens. É mais comum na pele, mas pode surgir em locais como olho, mucosas em geral, sob as unhas etc…

Algumas características que chamam a atenção para a possibilidade de estarmos frente a um melanoma, são descritas na regra do ABCDE. São características suspeitas em uma lesão cutânea e, se encontradas, sinalizam que essa pinta ou sinal merece uma avaliação médica imediata.

 

Perguntas frequentes

Quais os fatores de risco para o câncer de pele?

  • Exposição à radiação ultravioleta (sol)
  • Pintas
  • Pele clara
  • Histórico familiar
  • Idade

Quais os sinais de câncer de pele?

Manchas de formato irregular, de coloração escura, com áreas mais enegrecidas, de aparecimento súbito ou em áreas de manchas ou pintas já existentes mas com mudança recente de suas características, merecem especial atenção. Sinais ou sintomas como sangramento, coceira intensa e dor devem ser valorizados.

Como se prevenir do câncer de pele?

  • Usar roupas adequadas durante exposição solar
  • Protetor solar – utilizar nas áreas mais expostas ao sol, reaplicando periodicamente
  • Uso de boné ou chapéu – aumenta a proteção da face e couro cabeludo.
  • Óculos de sol – para bloquear a radiação UV sobre os olhos e pálpebras
  • Procurar uma sombra para limitar a exposição ao sol

Quando é indicado a cirurgia para tratamento do melanoma?

Assim que identificamos uma lesão suspeita, já deve ser realizada a biópsia. Esta biópsia deve ser feita por profissional experiente para não fragmentar a lesão e retirá-la com margem adequada. Em algumas situações, após o diagnóstico definitivo, há a necessidade de nova abordagem cirúrgica para ampliação da margem e pesquisa de possíveis tumores satélites (metástases linfonodais).

Recomendações

  • Faça auto-exame regularmente e observe se há alguma mancha, ou pinta nova que apresente alguma alteração expressiva.
  • Evite exposição excessiva ao sol, sempre lembrar de usar protetor solar, chapéu e óculos de sol para se proteger.
  • Tomar cuidado com bronzeamento artificial, pois assim como o Sol, o bronzeamento emite raios ultravioletas.

Na MAXILART possuímos profissionais altamente capacitados na área de Cirurgia de Cabeça e Pescoço dispondo de alto conhecimento cientifico e tecnológico para lhe proporcionar o melhor diagnóstico e tratamento para o seu caso. Agende sua consulta.

Agende agora mesmo a avaliação conosco