Apnéia do Sono

Conheça mais sobre esse procedimento.

Por definição, “Sono” é o estado caracterizado por supressão da vigília, desaceleração do metabolismo, relaxamento muscular e diminuição da atividade sensorial. Portanto, se alguma destas características estiver ausente, você provavelmente possui algum distúrbio do sono.

Durante o sono seu corpo trabalha de forma mais lenta, realizando algumas tarefas como:

  1. Relaxamento muscular para se recuperar das atividades realizadas durante o dia
  2. As células lesionadas são reparadas com maior eficiência
  3. O sistema de defesa do organismo é estimulado
  4. O sistema cardiovascular desacelera e é preparado para o dia seguinte;

Dúvidas Frequentes

Veja algumas dúvidas que podem te ajudar.

Não. Nem todas as pessoas que roncam são necessariamente portadoras da SAOS. O diagnóstico é baseado em evidências clinicas e em exames complementares, onde o mais solicitado nestes casos é a polissonografia. No entanto, outros métodos auxiliares e complementares no diagnóstico da SAOS tais como: tomografia computadorizada, ressonância magnética, radiografias convencionais e a nasofaringoscopia podem também ser solicitados.

Anatomicamente falando, quando você está deitado em posição supina (Barriga para cima), existem várias estruturas anatômicas localizadas a frente da garganta, são elas: palato mole, úvula, amígdalas, língua, orofaringe, nervos, vasos sanguíneos, etc. Durante o sono, a musculatura ao redor da garganta é relaxada, portanto perde tonicidade (rigidez) e o “peso” das estruturas localizadas a frente da garganta causam a obstrução parcial ou total da via aérea (semelhante ao que acontece com um canudo flexível quando você está tomando água de coco e suga o líquido com muita velocidade e o canudo é deformado impedindo o fluxo da água de coco até sua boca) causando a interrupção do fluxo de ar atmosférico do meio ambiente para o seu pulmão. A respiração pode ser impedida por alguns segundos, e isto diminui o nível de oxigênio no sangue e, consequentemente causa o aumento dos níveis sanguíneos de dióxido de carbono (que, em altas doses, é extremamente prejudicial ao organismo).

Como mecanismo de defesa, seu cérebro sente que algo está errado com sua respiração e provoca um discreto despertar no sono para que sua via aérea retome o fluxo de ar perdido. Geralmente este discreto despertar (microdespertares) é tão rápido que você nem se lembra dele, no entanto, a qualidade do sono é muito prejudicada, ou até mesmo você pode despertar ofegante e sem fôlego nos casos das apnéia obstrutivas mais severas. Este ciclo de microdespertares pode se repetir por inúmeras vezes durante o sono, impedindo que as fases mais profundas do sono sejam completadas, causando os prejuízos já mencionados no tópico SONO. É interessante informar que muitas pessoas que possuem a SAOS não sabem que seu sono foi interrompido várias vezes durante a noite, pois os microdespertares ocorreram de forma inconsciente, portanto, estas pessoas acham que possuem uma ótima qualidade de sono. Isto reforça a necessidade de avaliação especializada.

Neste tópico é de extrema importância salientar que qualquer pessoa pode desenvolver a SAOS, independente dos fatores de risco abaixo listados, no entanto, pessoas enquadradas em uma ou mais das situações a seguir possuem risco aumentado para desenvolvimento da SAOS.

Excesso de peso:
Claramente este fator é um dos grandes amplificadores do problema, porque o peso das estruturas localizadas a frente da garganta é aumentado por conta do excesso de gordura cervical, língua e tecidos vizinhos

Retrusão mandibular (retrognatia ou queixo muito para trás)

Outros fatores anatômicos:
– Vias aéreas anatomicamente com volume e tamanho reduzidos
– Amigdalas e/ou adenoides hipertróficas
– Tumores ou cistos na região das vias aéreas

Hipertensão arterial

Congestão nasal crônica

Tabagismo

Diabetes Melitus

Problemas respiratórios como a Asma

Gênero. Geralmente homens são duas vezes mais acometidos pela SAOS que as mulheres

Histórico familiar positivo para Apneia

É interessante observar que geralmente pessoas hipertensas, fumantes e diabéticas possuem excesso de peso, o que torna este quesito como um dos principais fatores de risco e uma das recomendações no início do tratamento da SAOS nestes pacientes é a necessidade de perda de peso.

– Ronco alto o suficiente para incomodar outras pessoas.
– Pausas na respiração durante o sono.
– Acordar repetidas vezes durante o sono, com a respiração ofegante ou sufocante
– Sonolência excessiva durante o dia, onde muitas vezes durante atividades diárias (assistir TV, dirigir, inclusive no trabalho), você adormeça sem intenção de dormir.
– Irritação e estresse sem motivo aparente durante o dia.

Se você possui ronco alto, que incomoda as pessoas ao seu redor, e esta situação é acompanhada de períodos de silêncio (apnéia), procure um profissional especialista em sono, provavelmente você sofre da Síndrome da Apnéia do Obstrutiva do Sono (SAOS). É importante saber que nem todas as pessoas que roncam possuem SAOS.

Sonolência diurna também nem sempre está relacionada a apnéia, portanto, em alguns casos está relacionada ao próprio cansaço e fadiga muscular do organismo ou até mesmo narcolepsia (distúrbio que causa sonolência excessiva durante o dia). Por isso a avaliação por um profissional habilitado é de extrema importância no diagnóstico da SAOS, pois nem sempre o diagnóstico é dado por situações isoladas ou perceptíveis.

Existem vários profissionais da saúde que podem auxiliar no tratamento da SAOS. Entre eles estão:

Dentistas:
Cirurgiões Buco Maxilo Faciais e os Especialistas em Odontologia do Sono.

Medicina:
Especialistas em Medicina do Sono, podem ser eles Otorrinolaringologista, Pneumologia, Neurologia.

Nutricionista
Na Clínica MAXILART possuímos profissionais com alta capacidade técnica e cientifica que trabalham de forma colaborativa para um atendimento de excelência.

  • Em pacientes retrognatas (queixo retraído), o problema pode ser ampliado inclusive atingindo as articulações temporomandibulares nos casos mais severos;
  • Fadiga diurna e sonolência;
  • Mudanças de humor ou sentimentos de depressão podem tornar-se bem evidentes;
  • Dificuldade de concentração, prejudicando o rendimento no trabalho ou escola, incluindo problemas de memória;
  • Problemas cardiovasculares
  • A queda dos níveis sanguíneos de oxigênio causa um aumento na pressão arterial como mecanismo compensatório para a oxigenação dos tecidos corporais sobrecarregando o sistema cardiovascular, aumentando o risco de doenças coronarianas, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral inclusive podendo levar ao óbito;
  • Complicações em anestesia geral para tratamento de outros problemas não relacionados a Apneia, porque as medicações utilizadas podem relaxar as vias aéreas superiores favorecendo a ocorrência de episódios de apnéia, somado ao fato de que geralmente no período pós-operatório os pacientes ficam sonolentos e deitados em posição supina (com a barriga para cima). Por estes motivos, caso você seja portador de SAOS, é de extrema importância informar ao seu médico e ao seu anestesista sobre este problema;
  • Problemas de relacionamento com o parceiro(a) ou cônjuge. Este pondo afeta substancialmente a vida das pessoas. O ronco alto em algumas vezes é motivo de brigas e até mesmo separação, porque a pessoa que dorme ao lado de uma outra que roca alto, também perde a qualidade de seu sono e tem sua rotina diária também afetada embora não seja portadora da SAOS.

Sim. Por definição, a SAOS é um distúrbio que acomete as vias aéreas independentemente da idade do paciente. Normalmente prevalência de apnéia obstrutiva do sono é maior em crianças devido ao aumento de alguns tecidos linfoides nas suas vias aéreas tais como as adenoides e amigdalas. Naturalmente após um período de aumento de volume dessas estruturas elas passar por um processo natural de involução diminuindo naturalmente a prevalência da SAOS em crianças a medida que elas se desenvolvem.

Essas alterações também podem estar relacionadas ao aparecimento de bruxismos (ranger de dentes) em crianças. Apesar de ocorrer um processo involutivo natural, esses pacientes devem ser tratados pois essas crianças podem ser impactadas no processo cognitivo escolar, relacionamento interpessoal e crescimento.

Existem várias opções de tratamento para a SAOS. Podemos didaticamente dividi-los em tratamentos não-cirúrgicos e tratamentos cirúrgicos. Dentre os tratamentos não-cirúrgicos, existem diversas modalidades de terapêuticas com diferentes indicações e índices de sucesso. O tratamento gold standard de eleição para a SAOS é o uso de CAPAP, contudo apresenta uma baixa adesão diária pela dificuldade de adaptação desses indivíduos.

Tratamentos não-cirúrgicos:

Mudanças comportamentais
A prática regular de exercícios físicos associados a dietas alimentares direcionadas ao problema tem por objetivo diminuir o peso do individuo promovendo a liberação de serotonina. Evitar o uso de sedativos e álcool no período noturno e não dormir com a barriga para cima, priorizando dormir de lado.

Aparelhos intrabucais
Planejados e instalados por dentistas especialistas em distúrbios do sono, estes aparelhos são individualizados para cada caso e problema. Como objetivo principal eles mantem a via aérea às custas da posição da mandíbula que é projetada e mantida a frente da sua posição habitual, impedindo que a língua e tecidos moles vizinhos obstruam a via aérea durante o relaxamento muscular no sono.

CPAP
Do inglês (Continuous Positive Airway Pressure, que em português significa Pressão Positiva Contínua da Via Aérea) é um aparelho que garante a manutenção da via aérea durante o sono através da emissão de pressão contínua pela garganta. Existem vários fabricantes e modelos de CPAP, no entanto são compostos por um dispositivo que cria a pressão, acoplados a filtros e tubos que são conectados a uma máscara adaptada ao seu nariz. Muitos pacientes não conseguem se adaptar ao uso recomendado deste aparelho.

Tratamentos cirúrgicos:

Cirurgias na faringe e pescoço
Geralmente realizadas pelos cirurgiões de cabeça e pescoço a inferiorização do osso hióide e a Uvulopalatofaringoplastia são procedimentos cirúrgicos para tratamento da SAOS. Podem envolver acessos cirúrgicos extra orais e causar cicatrizes na pele.

Cirurgia Ortognática (avanço bimaxilar)
É a modalidade cirúrgica de possui melhores resultados em pacientes retrognatas (queixo pequeno e retruído), o que não significa que outros pacientes não possam ser beneficiados com esta modalidade cirúrgica. Somos especialistas em Cirurgia Ortognática, inclusive para tratamento da Apneia Obstrutiva do Sono.

Resultados esperados:

O que deve ser levado em consideração nos tratamentos para a SAOS é que embora os índices de apnéia detectados na Polissonografia sejam ainda os indicadores mais usados no diagnóstico e acompanhamento da Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono. Esses índices não são os únicos que devemos levar em consideração para mensurar o sucesso do tratamento. O resultado mais importante é o ganho na qualidade de sono, o que reduz a sonolência diurna, aumenta a concentração durante as atividades diárias, além de reduzir os níveis de estresse dos pacientes. Estes são alguns dos critérios de sucesso que adotamos no tratamento da SAOS.

A Maxilart conta com profissionais de elevado nível nas mais diversas áreas, todos conectados entre si e planejando juntos para que nossos pacientes recebam o melhor tratamento disponível no mercado. Agende uma avaliação, e tenha suas dúvidas respondidas.

AGENDE AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO CONOSCO